Ciclos de Vida e a Zona de Conforto

Os ciclos da vida são incríveis e repletos de conteúdos, de evolução, de oportunidades e aprendizados de viver o amor incondicional.  A própria Natureza com seus astros nos ensina sobre os ciclos...ciclo solar, ciclo lunar...e nos ciclos da vida humana. Gosto de pensar nos setênios ensinados, a partir da visão da Antroposofia, que divide a vida em fases que se alteram de sete em sete anos (primeiro setênio do ser humano dos 0 aos 7 anos). Para os antroposofistas, a cada sete anos fechamos um ciclo de vida e iniciamos outro. E nessa mágica dança dos ciclos em nossa vida, temos a oportunidade constante de seguir em frente, de recomeçar, de findar e de honrar o velho para que o novo possa habitar.

Deixar ir...e abrir espaço para que você se transforme em quem é!

A Zona de Conforto nos faz estagnar e interfere no fluxo natural da vida, pois nos conduz a negar e/ou resitir a abundância da vida que é nossa por direito. Sua melhor versão está nos movimentos dos ciclos. No sim, que você diz todos os dias para a vida que tem. Sendo grato, acima de tudo pelo que é e tem. Sua abundância está no olhar apreciativo para aquilo que já é seu.

A Zona de Conforto te faz enxergar a vida, a partir da ótica escassa. Suas ações, pensamentos e comportamentos são sempre os mesmos e limitados, um universo previsível (um estado de falsa segurança). E assim na Zona de Conforto a vida vai passando e você vai apenas assistindo a sua biografia acontecer, longe de escrevê-la. Respeitar e estar atento e conectado aos ciclos da vida é entender que você existe para ser o Protagonista da tua história.

Permanecer em ciclos acabados é tirar de você mesmo a oportunidade de evoluir. Gosto de lembrar daquela máxima: a vida é tão curta para não ser vivida.

Então:

Se as lembranças são doces, aprecie.

Se o medo é terrível, enfrente-o.

Se o amor é raro, aproveite!

VIVA!!!

 


Compartilhar

Contato


Deixe sua mensagem